Atividade Física auxilia na Prevenção e no tratamento do Câncer

O benefício da atividade física no risco de doenças cardiovasculares, osteoporose, hipertensão e diabetes mellitus já é bem conhecido. Mais recentemente o exercício físico tem sido estudado mostrando um benefício na redução do número de casos de alguns tipos de câncer.

Mudanças de estilo de vida tais como prática regular de atividade física e uma dieta equilibrada podem reduzir o aparecimento de diversos tipos de cânceres em até 30%.

Atualmente já dispomos de um conjunto de evidências científicas suficiente para atribuir à prática regular de exercícios físicos um importante papel na prevenção desses tipos de câncer.

Além do benefício do exercício na prevenção, sabemos também que pode haver um melhor controle dos tão temidos efeitos colaterais do tratamento de quimio e radioterapia naqueles que já tiveram o diagnóstico. Os exercícios físicos promovem um aumento da circulação, da respiração e da depuração de substâncias tóxicas do organismo. Com isso, traz benéficos nos pacientes tratados com quimioterapia.

Pacientes com câncer e que praticam exercícios físicos tiveram menos fadiga, depressão, náuseas e vômitos. Exercícios físicos podem reduzir o tempo de recuperação do tratamento oncológico e ajudar os pacientes a se sentirem melhor através da diminuição dos efeitos colaterais.

Cada paciente com câncer deve ser avaliado individualmente e, se o mesmo estiver em condições físicas adequadas, a prática de exercícios não só pode como deve ser estimulada como forma de melhorar a auto-estima e a qualidade de vida.
Na prática clínica, a fadiga, queixa freqüente entre esses pacientes, é o principal obstáculo para iniciar ou manter uma atividade física. No entanto, uma vez iniciada a atividade é capaz de diminuir esse e outros sintomas.

Mulheres com câncer de mama que se exercitam por 150 minutos ao longo da semana em intensidade moderada têm risco 40% menor de morrer ou de sofrer novamente com a doença em comparação com as que suam a camisa por menos de uma hora por semana. A atividade moderada inclui caminhada rápida, ciclismo e natação.

A chance de recorrência e morte em pacientes com câncer de intestino pode ser reduzido cerca de 50% com quantidade significativa de atividade física. A possibilidade de morte por câncer de próstata chega a diminuir em 30%.
Enfim, o câncer ainda é uma das doenças mais temidas e é um grande desafio para nós médicos, mas uma parte significativa desses problemas pode ser evitada através de modificações no estilo de vida.

Embora a relação entre atividade física e câncer não esteja definitivamente esclarecida, os dados obtidos até aqui são tão contundentes que todas as pessoas devem ser motivadas a se exercitarem com regularidade.

Sabemos que mudar estilo de vida às vezes não é facil, exige disciplina e perseverança. Porém, os ganhos na saúde física e mental, assim com melhora da qualidade de vida são imensuráveis.

Por Renata Cangussú, Oncologista do NOB, Cremeb 15149

Cadastre seu email e receba informações em primeira mão.

Clínica inova com serviço de diagnóstico rápido – Edição Setembro 2016

Clínica inova com serviço de diagnóstico rápido – Edição Setembro 2016

Abrasivo Digital